FANDOM


Acordos
LJU-04
Informações Gerais
Série Liga da Justiça: Unidos
Arco A Origem da Justiça
Número do Episódio 4
Sequência
Episódio Anterior Identidade
Créditos
Escrito por JokerLeo
Acordos é o quarto episódio da série Liga da Justiça: Unidos.

SinopseEditar

Bruce Wayne é convocado para participar de uma reunião na sede da LexCorp em Metrópolis. Enquanto isso, Barry Allen entra em ação para combater uma fuga da prisão orquestrada por três criminosos em Central City.

EnredoEditar

O dia inicia-se com um sol luminoso que clareia a cidade de Central City. Os comércios abrem suas portas, os automóveis circulam pela cidade. O relógio da catedral marca 6:52 da manhã. Numa das esquinas da cidade, um humilde vendedor de jornais de barba branca expões as manchetes a venda. Na capa do jornal, figura a marca do Planeta Diário que traz consigo o título: “Lex Luthor marca reunião com grandes empresários e investidores nesta quinta-feira.”

Pela rua, um jovem rapaz de cabelos loiros e olhos azuis corre apressado para chegar a seu trabalho a tempo. Seu nome é Barry Allen. Ele esbarra acidentalmente numa mulher que o manda tomar cuidado e o jovem pede desculpas, mas continua seu trajeto até seu trabalho.

Em frente à sede da LexCorp em Metrópolis, vários jornalistas aguardam oportunidades de entrevistar os empresários que estão no local para a reunião com Luthor. Dentre eles, Clark Kent, que ao lado de Jimmy Olsen, demonstra um certo nervosismo. “Clark, tá tudo bem?” – Pergunta Olsen enquanto regula sua câmera. Clark permanece em silêncio, e Jimmy evita insistir na pergunta.

No topo do prédio, vários empresários estão sentados em torno de uma grande mesa de mármore. Dentre eles, figuras conhecidas como Maxwell Lord, Simon Stagg e o próprio Bruce Wayne. Todos aguardam a chegada de Lex Luthor à sala de reuniões, que de acordo com Stagg, deveria ter chegado à 15 minutos.

“Não se preocupe, meu querido Stagg, estou aqui. Os demais me perdoem pelo atraso.” – Diz Luthor com uma chegada repentina ao lado de sua guarda-costas Mercy Graves, a qual libera logo em seguida após um gesto com sua cabeça. Após a saída de Graves, Luthor inicia seu discurso.

“Senhoras e senhores, o motivo de eu ter convocado uma reunião tão cedo é que estou atrás de novas parcerias para um novo projeto social, filantrópico e, acima de tudo, humanitário. Primeiramente, quero convidá-los a ver algumas imagens que separei para esta reunião. Algumas cenas fortes, senhores, mas que não podemos tapar os olhos. Já tem gente demais fazendo isso.” – Diz Luthor. Em seguida, as imagens são projetadas num telão atrás de Lex.

Passam-se várias cenas de destruição. Corpos ensanguentados sendo desenterrados de escombros por policiais; uma criança sendo carregada em meio à destruição dizendo não sentir suas pernas; imagens de câmeras de segurança onde pessoas são atingidas por tijolos de prédios desmoronando sobre as ruas. Os empresários na mesa assistem àquilo sem demonstrar nenhuma expressão, mas sem nenhum piscar de olhos.

Na penitenciária de Central City, Evan McCulloch, o Mestre dos Espelhos, está sentado no chão de sua deserta cela metálica quando ouve um grande barulho vindo do corredor. O criminoso então abre um sorriso e murmura “Estou livre”, aproximando-se da porta de sua cela. Logo em seguida, sente uma gélida névoa tocar suas mãos e a porta começa a congelar. Naquele instante, a porta é destroçada por uma explosão de fogo que joga McCulloch contra a parede. Engasgado com a fumaça, ele olha através da névoa que enche sua cela e encontra diante de si outros dois criminosos, o Capitão Frio e o Onda Térmica. “Vamos embora.” – Diz o Capitão Frio, e McChulloch se levanta rapidamente deixando o local junto aos seus cúmplices.

Na LexCorp, Luthor dá continuidade a seu discurso. “Essas são imagens de três anos atrás. Essas são pessoas que perderam sua vida graças ao Superman, que acabou se tornando o grande herói da humanidade. Eu pergunto a vocês, o que aconteceria se o Superman decidisse se voltar contra nós? Quem estaria preparado para isso? Nem mesmo os nossos melhores seguranças conseguiriam detê-lo, e mesmo que conseguissem, o que aconteceria com aqueles que não têm os mesmos privilégios que nós temos? Não podemos esperar que o governo cuide de todo mundo, eles não podem cuidar. O Superman é uma ameaça aos nossos direitos, à nossa segurança.” – Diz o empresário.

“Senhor Luthor, o senhor é um homem altamente comprometido e eu imagino que não nos tenha convidado apenas para ouvir demagogias” – Afirma Maxwell Lord, sentado bem ao centro da mesa em forma de semicírculo. “Certamente não, meu caro Lord.” – Diz Luthor, abrindo uma projeção holográfica bem ao centro da mesa, exibindo então o que parece ser um robô. “Senhores, vos apresento Brainiac.” – Afirma.

Enquanto isso, em Central City, Barry Allen fala no telefone com sua namorada, Iris West. No momento, ele está em seu trabalho no departamento de polícia da cidade, onde atua como legista. “Então está tudo certo, às 11?” – Pergunta ele. “Não sei, eu estou em Metrópolis para cobrir uma coletiva na LexCorp.” – Afirma a moça. “Não tem problema, eu vou aí”. – Afirma Barry. “Então vamos no restaurante de sempre. Sem falta?” – Questiona Iris. “Sem falta.” – Confirma Barry, que desliga então o telefone e deixa seu laboratório, uma pequena sala com alguns apetrechos e instrumentos de trabalho, como beckers, pinças entre outros.

O rapaz segue até o bebedouro ali próximo para tomar um copo d’água, quando vê alguns policiais saindo do lugar em emergência. “Onde eles vão?” – Pergunta Barry a um rapaz que estava ao lado. “Mestre dos Espelhos fugiu, estão indo atrás dele.” – Responde o homem. “Droga!” – Murmura Barry.

“Um robô?” – Questiona Stagg com um tom de deboche. “Não, um ser tão vivo quanto qualquer um nessa mesa. Brainiac é apenas uma das preciosidades que minha equipe encontrou no Atlântico há alguns anos atrás. Ninguém sabe ao certo quantos anos está na Terra, mas se sabe que ele não é daqui. Durante esse tempo, fui fazendo pesquisas com o corpo e consegui reabilitá-lo a meu comando. Trata-se de uma arma que podemos usar a nosso favor, o único que poderia derrotar o Superman em última instância.” – Explica Luthor.

“Um alienígena para combater outro, você está louco, Luthor?” – Pergunta outro empresário. “Se eu estiver, vocês podem me matar. Brainiac está diretamente ligado a mim, se as coisas vierem a fugir do controle, vocês podem me matar então Brainiac morre também.” - Responde Lex. “O que você quer, afinal?” – Pergunta Maxweell Lord. “A LexCorp gastou valores exorbitantes para manter o projeto e de lá pra cá, muita gente pulou fora. Eu não posso arcar com essa despesa sozinho, não mais. Eu quero poder contar com vocês.” – Responde.

Um tempo depois, os jornalistas na frente da LexCorp começam a se levantar. “Eles estão vindo!” – Diz uma moça, e vários outros jornalistas se preparam para entrevistar os empresários. Clark e Jimmy vão para a frente da entrada para conseguir a entrevista, mas são barrados por seguranças que os afastam, assim como Iris West que também está lá para entrevistar os participantes da reunião.

O primeiro a passar é Simon Stagg, que com seu espírito ranzinza, recusa-se a responder os jornalistas e segue diretamente para a limusine que o aguarda. O segundo é Maxwell Lord, que questionado por um jornalista sobre o que se tratara a reunião, afirma que se trata de uma causa humaniitária. Quando é perguntado por Iris West sobre a que ele se refere, o dono das Empresas Lord diz que não pode falar ainda, mas haverão notícias em breve.

O próximo é ninguém menos que Bruce Wayne, que passou a reunião em silêncio. Ao vê-lo, Clark tenta assimilá-lo ao que conhece do Batman. Iris West questiona se Wayne enfim irá se aliar a Lex Luthor. “Eu ainda não tenho um veredito e quem me conhece sabe que não simpatizo muito com Lex Luthor, mas quem sabe?” - Diz Bruce afastando-se dali.

Clark decide segui-lo até seu carro e Jimmy pergunta onde Clark vai, mas não obtém resposta e o deixa ir quando surge outro empresário para fotografar. Com Bruce já dentro do carro, Clark bate no vidro chamando por seu nome. Bruce abaixa o vidro e Clark se apresenta como um jornalista do Planeta Diário. “Esse é meu também?” – Pergunta Wayne em tom de deboche. “Senhor Wayne, eu gostaria de conversar com você sobre o Batman.” – Diz Kent. “O Batman é um louco como todo mundo em Gotham, é tudo que eu sei. Tenha um bom dia, senhor Kent!” – Diz Bruce levantando novamente o vidro de sua janela e dando partida no seu carro.

No caminho, Bruce conversa com Alfred. “O senhor acha que ele sabe?” – Pergunta Alfred. “Eu acho que ele suspeita.” – Responde Bruce. “Então nesse caso é bom ficar de olho.” – Diz Alfred. “Faça isso por mim.” – Pede Bruce. “Pode deixar, patrão.” – Responde o mordomo.

Em Central City, Onda Térmica, Mestre dos Espelhos e Capitão Frio fogem da polícia numa vam. “Estão bem na cola!” – Diz o Mestre dos Espelhos. “Estou vendo! Onda Térmica, assuma o volante, tenho que fazer uma coisa!” – Diz o Capitão Frio deixando o volante e indo para o fundo da vam. As portas do fundo se abrem e o Capitão Frio, armado com sua arma de gelo, dispara contra o chão congelando a pista e fazendo os carros derraparem e se baterem. Um helicóptero da polícia se aproxima ordenando que a vam pare ou vão atirar. “Snart!” – Grita Onda Térmica. “Não consigo atingi-los, o raio da minha arma não chega até eles!” – Diz o Capitão Frio. “Então deixa que eu faço isso!” – Diz o Mestre dos Espelhos levantando-se do banco do passageiro e disparando com sua arma em direção ao helicóptero, criando uma espécie de portal que os suga para dentro e depois desaparece.

“Isso deve bastar por enquanto, mas não é o suficiente!” – Diz Snart, o Capitão Frio. Com as portas dos fundos então fechadas e Capitão Frio e Mestre dos Espelhos sentados novamente em seus lugares, McChulloch vê o Flash se aproximando. “Aí, Snart, olha quem tá vindo ali!” – Afirma. O Capitão Frio olha no retrovisor e manda Onda Térmica parar o carro. “Agora?” – Questiona. “Agora, animal, ele vai nos alcançar de todo jeito!” – Grita Snart.

Quando Flash os alcança, as portas do carro se abrem e de lá saem Onda Térmica e Capitão Frio, cada um por um lado. “Rory, Snart, cadê o McChulloch?” – Pergunta Flash. “Aqui!” – Responde McChulloch surgindo do reflexo de uma janela de um carro por trás do herói e segurando seu pescoço. Flash tenta escapar, mas McChulloch continua o prendendo. “Rory, tire a máscara! Vamos descobrir quem esse filha da mãe é!” – Ordena o Capitã o Frio a Onda Térmica, que se aproxima para remover a máscara do Flash, mas é interrompido quando policiais chegam ao local e atiram nos pés do vilão. Onda Térmica e Capitão Frio avançam contra os policiais enquanto Flash é puxado pelo Mestre dos Espelhos para dentro da Dimensão Espelhada.

Lá dentro, Flash cai de uma grande altura sobe uma passarela avermelhada no meio de um vácuo com vários espelhos flutuando ao seu redor. “Droga! Eu odeio esse lugar!” – Diz ele. “Odiará ainda mais depois de hoje, velocista!” – Diz o Mestre dos Espelhos, que aparece em todos os espelhos ao seu redor. Flash avança em direção a um deles, mas acaba saindo em outro a alguns metros de distância. “Esse eu já vi que não vai, agora só faltam alguns...” – Dizia ele erguendo sua cabeça e vendo centenas de milhares de espelhos ao seu redor.

Fora da dimensão, McCulloch avisa a seus companheiros que o Flash está preso na dimensão espelhada. “Ótimo, então a cidade é nossa!” – Diz Capitão Frio disparando com sua arma de gelo contra as viaturas de polícia.

Iris West chega num pequeno restaurante em Metrópolis. “Mesa para 1?” – Pergunta o garçom. “Para dois, por favor!” – Pede ela passando por de frente de onde almoçavam Jimmy e Clark. “Essa não é a...?” – Perguntava Jimmy. “Iris West! Sim! Ela é demais! Não leva a mal, mas ela e Lois são as melhores!” – Comenta Jimmy.

Entre uma barreira de gelo que fica ao seu redor e afasta as viaturas, Capitão Frio ergue uma grande rampa congelada e manda que Mestre dos Espelhos e Onda Térmica adentrem a vam. Fora da barreira, os policiais se juntam. Um deles pergunta a seu capitão como vão entrar, e ele o responde dizendo que já foi pedido reforço aéreo. Nesse momento eles veem a vam passando sobre suas cabeças e pousando rapidamente de volta no chão sob o som de gargalhadas dos criminosos e a música “Jumpin’ Jack Flash” dos Rolling Stones.

“Fiquem para trás, palhermas!” – Grita Rory disparando pela janela uma rajada de fogo contra um carro estacionado que acaba explodindo na rua enquanto dirige. “Rapazes, a cidade é nossa!” – Diz ele. “É uma pena que o Flash não possa ver isso!” – Diz o Mestre dos Espelhos em tom de deboche. “Não diria isso!” – Diz o herói cujo reflexo surge no espelho do carro seguido de um raio que explode o som do carro e abre as portas traseiras da vam.

“Mas que m...” – Perguntava Capitão Frio. “Eu mandei ele para a dimensão espelhada, haviam bilhões de espelhos que levavam a bilhões de lugares diferentes, como diabos...” – Dizia o Mestre dos Espelhos quando vê o herói seguindo de volta a vam. “Eu não precisava entrar nos bilhões de espelhos, eu precisava só do que me trouxesse até aqui e, olha, foi bem rápido!” – Diz Flash sarcástico.

Capitão Frio prepara sua arma e mira no velocista, mas percebe que ele sumiu. O herói surge na frente da vam para força-la a parar e é arrastado por alguns segundos. As pessoas ao redor afastam-se com medo. Uma menina segurando a mão de seu pai aponta “olha, papai, é o Flash!” e este a põe em seus braços para fugir dali. Flash, após deixar um rastro de seus pés no asfalto das ruas, consegue enfim parar o carro. Irritados, os criminosos saem do veículo e aproveitam-se do cansaço do herói após o esforço. Rory dispara uma rajada de fogo mas percebe que o herói sumiu. “Droga, cadê ele?!” – Pergunta ele. “Atrás de você!” – Diz o Flash socando-o até que o vilão é jogado a metros de distância.

“Vocês estão ficando muito previsíveis, deviam chamar mais alguém pra dar um upgrade na equipe, o Bumernague? Não, melhor! O que acham do Trapaceiro? O Trapaceiro é bacana!” – Brinca o herói enquanto corre para fugir da onda de gelo de Capitão Frio que o persegue. “Parados aí!” – Ordenam os policiais que acabam de chegar. “McCulloch!” – Grita o Capitão Frio. “O McCulloch se mandou, Snart! Somos eu e você!” – Diz o herói atingindo o criminoso num momento de desconcentração. Caído no chão, o vilão tenta alcançar sua arma, mas Flash pisa em sua mão. “Foi menos vergonhoso que da última vez, mas por hoje é só!” – Diz o velocista.

“Bom trabalho, Flash! Muito obrigado novamente! – Diz o capitão de polícia do Departamento de Central City aproximando-se. “Não foi nada, capitão. Mas o Mestre dos espelhos.” – Conta Flash. “Pegamos ele depois, estou faminto.” – Comenta o capitão algemando Frio e Onda Térmica. “Faminto? Meu Deus, o almoço com a Iris!” – Lembra o velocista correndo dali.

Num restaurante em Metrópolis, Barry Allen chega correndo e adentra o local. “Iris!” – Grita ele e todos ali param para olhar para o rapaz, após alguns segundos de silêncio, surge uma voz. “Iris West? A jornalista?” – Pergunta Jimmy Olsen, que está ao lado de Clark Kent no restaurante. “Sim, isso mesmo? Você a viu?!” – Pergunta Barry. “Olha, ela veio aqui depois da coletiva na LexCorp mas já foi embora.” – Diz Clark. “Ah. Eu...é...Obrigado. Podem voltar a comer sossegados!” – Diz o rapaz deixando o local constrangido. “Que cara estranho!” – Comenta Jimmy.

Lá fora, Barry vê uma mensagem de íris em seu celular. “Precisamos conversar”- Dizia. “Ah, não...” – Lamenta o rapaz escorrendo sua mão por seu rosto preocupado.

Mais tarde, em Gotham City. Batman adentra sorrateiramente pela rede de esgotos de Gotham City. “Se eu estiver certo, o parademônio que estamos procurando deve estar bem à sua frente, patrão Wayne.” – Diz Alfred pelo comunicador. Batman vê no fim de um túnel uma luz verde e a segue escondido nos cantos da parede. Ao chegar ao local, vê cair o corpo do parademônio e um homem com um traje verde brilhante segurando uma caixa materna. “Você! O que está fazendo aqui?! Ou melhor...o que diabos é você?!” – Questiona o homem.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • Inicialmente pensou-se em incluir o Trapaceiro no episódio, mas essa possibilidade foi descartada. Ainda assim, o personagem foi citado por Flash.
  • A participação de Hal Jordan estava, inicialmente, prevista apenas para o episódio seguinte.
  • Quando Flash está enfrentando a galeria de vilões no episódio ele sugere que chamem o Capitão Bumerangue e o Trapaceiro para integrar a equipe. Nos quadrinhos e em outras mídias os dois também integram a galeria.
    • Essa cena sugere que o herói já enfrentou Capitão Frio, Mestre dos Espelhos e Onda Térmica juntos anteriormente num intervalo de tempo entre o episódio e Flash: Ponto de Partida, o que é comum já que o episódio se passa dois anos depois do one-shot.