FANDOM


Amanhã
TMOS-12
Informações Gerais
Série Superman: O Homem de Aço
Arco Deuses Entre Nós
Número do Episódio 12
Sequência
Episódio Anterior O Grande Astro
Créditos
Escrito por JokerLeo

Amanhã é o décimo segundo e último episódio da série Superman: O Homem de Aço.

SinopseEditar

O Mundo espera pela sua salvação, e enquanto a Terra é tomada pelas tropas kryptonianas, Superman entra em um confronto com Zod para livrar a humanidade de seu fim.

EnredoEditar

O mundo continua um caos desde a chegada dos kryptonianos à Terra. Prédios destruídos, morte em todos os lugares, e a tropa de Zod continua voando pelos céus. Em Metrópolis, um grupo com cerca de 300 pessoas, incluindo homens, mulheres, crianças e idosos de toda uma área é reunida por quatro kryptonianos e levados para a execução.

Segurando um urso de pelúcia, uma pequena garotinha segura a mão de sua mãe. Ela beija a cabeça de sua filha e segura a mão de um homem que estava ao seu lado. Logo, as pessoas ali vão dando-se as mãos umas às outras enquanto os kryptonianos preparam suas armas para atirar. Naquele momento, todos estão de mãos dadas e com suas cabeças baixas esperando a sua execução.

Quando os kryptonianos estão prestes a atirar, o Superman surge na frente de um delse socando seu rosto. Ele destrói a arma com sua visão de calor e avança contra os outros kryptonianos. As pessoas soltam as mãos e correm para fugir daquele local. Superman é derrubado no chão, e três kryptonianos o pisoteiam. O quarto puxa a cabeça do herói pelo cabelo e a afunda no concreto do piso da rua, fazendo com que Superman fique alguns segundos sem movimento ou reação alguma.

“Conseguimos?” – Questiona um dos soldados kryptonianos, até que eles sentem Superman se mexer. Ele rapidamente levanta voo e, em alta velocidade, desce criando uma colisão ao tocar o chão, gerando um pequeno abalo sísmico naquela área e fazendo os soldados kryptonianos caírem a uma certa distância do lugar.

Superman cai de joelhos no chão. Sem fôlego, ele fica ali alguns segundos tentando se recuperar após a batalha com sua cabeça baixa, é quando vê uma pequena mão sendo estendida na sua frente. Ele ergue sua cabeça e vê a pequena menina qual tivera salvado. Ele segura a mão da mesma e em seguida se levanta. Ao olhar ao seu redor, vê as pessoas que salvou todas ali o cercando. Ele permanece sem falar nada, apenas observando aquele momento, onde todas aquelas pessoas com seus rostos suados e marcados com arranhões começam a aplaudir. “Você é o meu herói” – Diz a pequena garotinha abraçando o Superman. Ele abaixa-se um pouco e põe a mão sobre a cabeça da menina, abrindo em seu rosto um sorriso.

Ele ouve mais aplausos vindos do final da rua. “Olhem só se não é o grande herói da humanidade, sendo reverenciado, aclamado e amado por trair seu verdadeiro povo.” – Dizia Zod que aproximava-se dali. “Vão!” – Ordena Superman para as pessoas, e todos eles partem. “Eu estou impressionado com o que você tem aqui.” – Comenta o General. Zod e Superman aproximam-se e voam avançando um em direção ao outro.

Zod acerta o rosto de Superman e o mesmo é jogado para longe contra um dos prédios. O General não espera e continua voando em direção ao herói lhe acertando com vários socos. Superman cai enfraquecido entre os escombros de um prédio. Ao abrir seus olhos, ainda caído, vê Zod vindo em sua direção e desvia do General, levantando voo e disparando contra ele uma forte rajada com sua visão de calor. O General também utiliza do mesmo poder para se defender do ataque, e a energia das duas rajadas, indo de encontro uma a outra, fica exatamente no meio entre os dois. Superman, com muito esforço, consegue fazer sua rajada tornar-se mais intensa e chegar mais perto do General Zod, mas o vilão acaba tornando-se ainda mais forte e a rajada acaba acertando Superman, que é arremessado para longe com seu traje já rasgado.

Zod aproxima-se de Superman, e pisa sua face. “Eu não sou como os outros membros da minha tropa que você derrotou, Kal-El, eu não sou um General atoa. Eu sou o melhor, sou melhor que eles, sou melhor que você.” – Diz Zod. O pé do vilão é congelado pelo sopro de Superman, e quando Zod o tira de cima do herói, ele levanta voo e avança novamente contra o vilão.

O exército chega até o Planeta Diário mandando evacuar todo o prédio. Perry White toma a frente e diz que não podem dar as ordens assim. O General Lane surge dizendo que trata-se de uma questão de segurança. Perry White suspira e pede para que todos os seus funcionários deixem o prédio. Lois encontra seu pai e pergunta onde está o Superman. “Lois, vá para casa, o Superman está fazendo o trabalho dele. Não é seguro aqui.” – Ordena o General Lane, e a moça acaba saindo dali logo em seguida.

Fora do Planeta Diário, ela vê uma rajada da visão de calor kryptoniana acertando um prédio, o que acaba derrubando uma parte do prédio. Ela vê um garoto passando por ali por baixo gritando por sua mãe e nota que os escombros estão prestes a desabar sobre ele. Lois corre em direção ao menino. “Lois, não!” – Grita Jimmy Olsen, que estava ali perto. Lois consegue pegar o menino nos braços e correr a tempo de o prédio desabar, mas a grande poeira do desastre faz com que não seja possível mais vê-la. Ela afasta-se um pouco, ainda segurando o garoto, e pergunta qual o seu nome. O garoto responde que seu nome é Clark e Lois olha para os céus, onde vê Superman e Zod sobrevoando o local.

“Mãe!” – Grita o garoto apontando para uma mulher que chorava desesperada. Lois entrega a criança para a sua mãe e eles se abraçam. “Nem sei como agradecê-la” – Afirma a mulher a Lois segurando seu filho. Lois diz que não precisa agradecer, e vê novamente Zod e Superman sobrevoando os céus e lutando.

“Senhor Luthor, estamos preparados!” – Dizia uma voz feminina ao CEO da LexCorp pelo telefone. “Espere, espere o meu sinal.” – Afirma Luthor, ainda observando a destruição de Metrópolis pela janela de seu grande escritório.

“Eu não vou desistir desse mundo!” – Diz Superman enquanto soca o General Zod em pleno ar. “Eu posso até não governa-lo, Kal-El, mas eu verei o seu sangue sendo derramado.” – Afirma o General enquanto devia dos golpes do homem de aço.

Zod acerta um soco em Superman e acaba o derrubando no topo do prédio do Planeta Diário. Lá em cima, Zod soca várias vezes o herói, até que ele, com sua visão de calor, afasta Zod o fazendo parar longe, e avançando contra o General ainda no ar, fazendo-o cair em uma outra área da cidade.

Na ponte de Metrópolis, as pessoas buscam fugir, umas com seus carros, outras simplesmente correndo a pé, todos desesperados para arrumarem um lugar seguro. Alguns também preferem refugiar-se em casa, como a mulher e seu filho que tivera sido salvo por Lois Lane. No apartamento de Clark, Martha e Jonathan rezam ajoelhados na sala de estar, pedindo a Deus que proteja seu filho de todos os males. Jonathan põe a mão sobre a de Martha e a mulher, ao erguer sua cabeça e olhar para seu marido,vê uma lágrima escorrendo pelo seu rosto. Ela aproxima-se e, também com os olhos já cheios de lágrimas, beija a cabeça do homem e o abraça.

Superman e Zod continuam enfrentando-se numa área da cidade. O nariz do homem de aço já está sangrando, bem como o seu peito e seu braço, que estão totalmente arranhados, além de seu traje rasgado. Zod também está acabado, com um olho roxo e com sangue escorrendo no canto de sua boca e sua armadura rachada. Superman o derruba no chão com um soco, quebrando o peito de sua armadura.

“Agora” – Diz Lex Luthor ainda em seu telefone. Superman continua socando a face de Zod, que ainda está caído no chão, fazendo com que o general comece a botar sangue pelo seu nariz. Superman para por um tempo, ouvindo algo se aproximar daquele lugar em grande velocidade. “Então é assim que vai terminar? Você vai me matar? Você vai matar o seu próprio povo? Você é fraco como o seu pai, Kal-El, Superman, ou seja lá como você goste de ser chamado. Você é fraco como seu pai.” – Afirma Zod com um pequeno sorriso, mesmo que ferido. “Zod, precisamos sair daqui! Agora! Tem alguma coisa vindo!” – Avisa Superman. O herói usa sua visão e vê um enorme projétil vindo em direção a eles.

Zod não responde, e devido aos ferimentos do seu adversário, Superman o põe em seu ombro. “Eu não vou deixar você morrer, Zod. Eu não sou como você.” – Afirma o herói, levantando voo naquele momento ainda carregando o vilão no ombro. “Não, eu perdi essa guerra, eu morrerei honrado!” – Diz o General soltando-se de Superman e ficando para trás, sendo atingido pela grande bomba, que acaba explodindo ao colidir com o General Zod. Superman é arremessado para longe pela explosão da bomba, caindo enfraquecido a vários metros de distância da explosão, que acaba por destruir vários quarteirões naquela área.

Alguns minutos depois, quando a poeira já espalhou-se um pouco mais, Superman continua ali, sentado no mesmo lugar que caiu, quando ouve alguém se aproximar. Ele sente uma mão tocando seu ombro, e uma voz chamando por seu nome, “Clark”. Ele vira-se para trás e encontra Lois Lane. O herói se levanta e olha nos olhos da moça. “Lois, eu tentei fazer o que eu pude, eu juro que tentei.” – Afirma Clark. “Não, Clark, você não tentou, você fez o que pode.” – Diz a moça, aproximando-se de Clark e beijando sua boca por alguns segundos. “Me desculpe, por tudo.” – Diz Lois após o beijo, e o herói sorri para a moça, afastando-se um pouco. “Lois! Graças a Deus!” – Grita o General Lane que acabava de aparecer ali ao lado de Jimmy Olsen, Perry White e alguns dos seus soldados. “Obrigado Superman, muito obrigado!” – Agradece o General. “Eu só fiz o meu trabalho, senhor.” – Afirma Superman. “Então...Eu tava pensando... É que...Pode me dar um autógrafo?” – Pergunta Jimmy.

“Um misterioso ataque nuclear aconteceu na tarde de ontem durante um confronto entre Superman e o General Zod na cidade de Metrópolis, destruindo cerca de 18 quarteirões da região. Apesar do grande número de feridos, houveram poucas mortes devido ao trabalho do exército e a evacuação da população de Metrópolis naquela região. Enquanto o corpo do General Zod não foi encontrado após a explosão, Superman sobreviveu e recebeu homenagens no mundo todo essa manhã, que deram a ele títulos como “Homem de Aço” e “Homem do Amanhã”. A General Faora anunciou também nessa manhã que a tropa kryptoniana deixaria a Terra após a perda do seu antigo general o que foi cumprido nessa tarde. As investigações para descobrir sobre quem criou a bomba ainda continuarão, e o responsável será condenado a prisão perpétua.” – Noticia a jornalista Cat Grant no seu telejornal.

Lex Luthor assistia ao programa de Grant quando desliga sua televisão com um sorriso no rosto. Ele ouve seu telefone tocar e vai atende-lo. Ao telefone, Lex conversa com uma voz feminina. “Recebeu o corpo do General Zod?” – Pergunta Luthor. “Sim, recebi. Os experimentos continuarão em breve.” – Afirma a voz. “Meu plano funcionou perfeitamente, pelo visto. Eu dei o dinheiro para a criação da bomba, você tem o corpo de Zod, como queria. Agora faça sua parte e mantenha a polícia longe de mim” – Exige Luthor. “Sim, Luthor, eu lembro do nosso trato. Boa noite.” – Diz a voz. “Boa noite, senhorita Waller.” – Conclui Lex Luthor, encerrando a sua ligação.

Ele pega uma garrafa de vinho e diz que é hora de comemorar. “Era isso que eu queria ouvir”- Diz uma voz surgindo ali quebrando os vidros das janelas da sala e entrando, o Superman. “Esses vidros são bem caros, sabia? Mas pouco me importa, eu tenho dinheiro até para comprar a sua alma.” – Comenta Luthor. Superman suspende Luthor segurando-o pelo pescoço e diz que não vai ficar barato para ele o que foi feito. “O que foi feito? Eu ter salvo a humanidade? Seja sincero, Superman. Você, para o homem mais poderoso do mundo, é bem fraco. Jamais teria coragem de matar Zod. Com ele sobrevivendo, as tropas kryptonianos que VOCÊ atraiu para cá jamais nos deixariam. Tudo que fiz foi me aproveitar de uma área quase que totalmente evacuada para livrar o resto da humanidade. Você recebeu o crédito por ser o bonzinho que lutou contra os peixes pequenos, mas nós dois sabemos que fui eu quem salvou a Terra. Você sabe muito bem disso, e é exatamente por esse motivo que você vai me pôr no chão, vai sair daqui e não vai falar nada sobre esse nosso encontro.” – Diz Luthor. Superman baixa sua cabeça, põe Luthor no chão e, sem dizer mais nada, deixa o lugar pelo mesmo buraco que entrou.

Depois disso, Luthor abre um pequeno sorriso e vai até o seu laboratório, um lugar totalmente escuro iluminado por uma única luz. “Ele já foi." - Conta Luthor. "E eu estou seguro?" - Questiona uma grave voz. "Sim. Eles não sabem sobre você, ninguém sabe. Você está completamente seguro, Brainiac." - Responde Luthor.

Duas semanas depois, Jonathan Kent faleceu. No enterro de Jonathan, um dia depois ao falecimento, sob o céu nublado de Smallville, várias pessoas vestidas de preto caminham pelo cemitério. Quando o caixão de Jonathan é deixado em sua cova, Clark pega um pouco de terra e derrama por cima do caixão de seu pai. Martha aproxima-se de seu filho e põe sua cabeça sobre seu ombro entristecida. Alguns segundos depois, ela afasta-se dali e os coveiros começam a enterrar o caixão. Uma mão segura a de Clark e ao virar-se para o lado, ele vê Lois Lane. “Sinto muito, Clark.” – Diz a moça. “Lois, ele era o meu herói, ele foi minha maior inspiração para me tornar quem sou.” – Afirma Clark. “Ele te amava Clark, certamente se orgulha de quem você se tornou.” – Diz Lois. Clark vira-se para a moça e sorri, em seguida ele olha para o céu, e juntos, eles deixam o cemitério andando com suas mãos dadas.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • Apesar de terem havido vários cortes, esse é o maior episódio de toda a série.
  • O episódio foi lançado juntamente com seu antescessor, O Grande Astro.
  • De acordo com JokerLeo, a última cena de Luthor é um easter-egg para Liga da Justiça: Unidos.