FANDOM


Bem-Vindo a Escola
Capítulo 2 OCDUH
Informações Gerais
Série O Caminho de um Herói
Temporada
Arco 1° Arco - A Nova Escola
Número do Episódio 002
Sequência
Episódio Anterior O Dia em que Tudo Mudou
Episódio Seguinte Detenção
Créditos
Escrito por Espadachim das Sombras

Bem-Vindo a Escola é o segundo episódio da primeira temporada de O Caminho de um Herói. Ele lançou dia 28 de Janeiro de 2018.

Sinopse Editar

Ao descobrir os seus poderes Jack é levado para um internato aonde jovens com a sua faixa de idade estão sendo treinados para controlar seus poderes desde que aquela explosão ocorreu. Jack fica feliz em encontrar seus dois melhores amigos, Jack e Oliver lá, mas mesmo com seus amigos não sabe se conseguirá acostumar-se a aquele internato.

EnredoEditar

Jack realmente não estava disposto a mudar toda a sua vida de forma tão repentina, mas infelizmente, aquilo aconteceria. A um mês atrás ele era apenas um adolescente normal do primeiro ano do Ensino Médio que teria uma longa e normal vida pela frente, mas aí aconteceu aquela maldita explosão que o deixou em coma, e depois de acordar, agora ele estava destinado a ir para um internato cheio de pessoas desconhecidas e ficar longe dos pais, mas aquilo não era o pior, e sim o fato de que agora ele era um super-humano e tinha a droga de uma habilidade que ele mesmo não queria.

Muitas pessoas sonhavam em ter super-poderes antigamente, era algo que muita gente queria, e quando foi anunciado aquele experimento todos vibraram com a possibilidade de finalmente adquirirem poderes, mas infelizmente aquilo não saiu do jeito planejado. Jack estava se perguntando se aquelas pessoas que tanto queriam ter poderes estavam feliz com o que tinha acontecido.

Em sua infância, Jack realmente queria ter poderes, mas enquanto foi crecendo foi percebendo o quão idiota era aquilo e não desejava mais aquilo. O adolescente ficou realmente surpreso quando aquele experimento foi anunciado, e em partes queria que ele fosse um sucesso, mas em outras partes duvidava que fosse. No fim, ninguém sabia se o experimento tinha sido um fracasso ou um sucesso, porque as opiniões sobre aquilo eram diferentes, algumas pessoas consideravam um fracasso, outras um sucesso. A questão era que nem todas as pessoas estavam felizes em ter recebido poderes e Jack estava entre esses.

— Pai, mãe... O que vai acontecer comigo? — Perguntou Jack, preocupado. Naquela ocasião ele estava realmente desanimado.

— Como eu disse, vamos ter que ir na prefeitura te registrar como um super-humano — Respondeu o pai de Jack — Vou pedir o número do diretor da Escola Preparatória lá na prefeitura e vou entrar em contato com ele. Se tudo der certo... Bem, você vai ter que ir para a Escola Preparatória.

— M-mas pai... Eu não quero ficar longe de vocês! — Exclamou Jack — Eu não quero ir pra um internato, eu não quero ter a merda desse super-poder!

— Mas é necessário, filho — Avisou a sua mãe — Todo adolescente com super-poderes tem que ir para a Escola Preparatória para aprender a controlar os seus poderes, é uma ordem do governo.

— Ah, a senhora fala como se todo adolescente com poderes realmente estivesse naquela escola — Retrucou Jack.

— Os que não estão ou agem como vilões ou estão desaparecidos — Retrucou a mãe de Jack.

— Eu posso simplesmente continuar a viver como uma pessoa normal! Não planejo virar um vilão e muito menos desapecer, mas também não quero usar esses poderes. Eu não quero eles! — Exclamou Jack.

— Olha, filho, muita gente não queria ter os poderes que tem, mas fazer o que, se aconteceu? — Perguntou o pai de Jack — O que aconteceu não pode ser mudado, é isso. Você tem que treinar os seus poderes antes que eles saiam de controle. Além do mais, pense no que você pode fazer com os seus poderes. Quando se formar na escola você pode se tornar um herói oficialmente, pode salvar vidas, prender vilões... Você sempre quis isso quando criança.

— É, mas eu cresci — Retrucou Jack — Eu sei que deve ser bom salvar vidas de pessoas, prender vilões e tudo mais, mas eu não nasci pra isso. Eu só quero viver normalmente como um adolescente qualquer, e não como um adolescente super-poderoso que faz parte de uma minoria.

— Filho, isso não é uma questão a ser discutida... — Comentou o pai de Jack — É algo que ou você aceita, ou você aceita, porque o governo quer todos adolescentes super-poderosos naquela escola. Imagine se os adolescentes super-poderosos estivessem dispersos pela cidade, que caos seria? Além do mais, agora que muita gente adquiriu poderes, vilões estão recrutando mais e mais pessoas para o lado errado, e lá naquela escola todos os adolescentes estão protegidos do que é ruim.

— Sabe, não é como se eu fosse ser influenciado ao crime por causa de qualquer bandidinho com poder... — Comentou Jack — Mas, se é minha obrigação, então, eu vou, mas sinceramente, não esperem grandes coisas de mim. Como eu posso ser um herói se a única coisa que eu consigo fazer é água levitar de um copo?

— É por isso que existe aquela escola, não é, filho? — Retrucou o pai de Jack — Para ensinar adolescentes super-poderosos a controlarem e aprimorarem os seus poderes e pra se tornarem heróis no futuro. Mas, agora, vamos lá na prefeitura, filho.

— Vamos — Jack no fim aceitou isso, mas mesmo assim não parecia contente em ter que ir para aquela escola preparatória.

— Tomem cuidado — Pediu a mãe de Jack.

— Tudo bem — Concordou o pai de Jack, sorrindo.

Logo os dois saíram de casa, então andando até a garagem, que ficava a direita da casa. O pai de Jack abriu a porta de lá e tirou o carro da família, e após isso o seu filho fechou a porta e entrou no carro. O pai de Jack então deu a partida no automóvel. A prefeitura do Bronx ficava realmente distante da casa da família Rize, diferente do hospital, que era tão próximo que não se precisava usar um carro pra ir até lá.

Foram vinte e cinco minutos de carro da casa da famíia Rize até o prédio da prefeitura. O pai de Jack parou o carro lá na frente e foi o primeiro a descer de lá. O seu filho desceu logo em seguida. A rua estava realmente bem movimentada, mas felizmente haviam poucos carros em frente a prefeitura, que aquele horário não devia estar tão cheio. Jack e seu pai logo entraram lá.

— Qual o motivo da visita, senhores? — Perguntou o recepcionista.

— Registro de super-humano — Respondeu o pai de Jack, se aproximando da recepção junto do filho.

— O super-humano é você ou o garoto? — Perguntou o recepcionista.

— Eu — Respondeu Jack.

— Então, é comigo. Vou precisar do seu nome, idade, data de nascimento e super-poder, garoto — Avisou o recepcionista.

— Meu nome é Jack Rize, tenho 15 anos e nasci no dia 09 de Maio de 2002. Meu super-poder é a hidrocinese — Respondeu Jack.

— Aguardem alguns minutos, vou fazer o seu cartão de super-humano. Querem mais alguma coisa? — Perguntou o recepcionista.

— Sim — Respondeu o pai de Jack — Jack, pode ir se sentar, eu vou pegar o número do diretor da Escola Prepatória.

Jack balançou a cabeça positivamente e se dirigiu a uma cadeira perto da recepção, então se sentando lá. Ótimo, agora ele seria registrado oficialmente como um super-humano e ainda teria que ir para a Escola Prepatória, agora realmente não tinha mais volta. Mais ou menos uns quinze minutos se passaram, e durante esses minutos seu cartão de super-humano foi preparado e seu pai conversou com o diretor da Escola Preparatória pelo celular. Quando a ligação acabou, o pai de Jack guardou seu celular no bolso e recebeu o cartão de super-humano de seu filho.

— Vamos, Jack — Chamou, e Jack logo se levantou e seguiu seu pai.

— E então, o que o diretor falou para o senhor? — Perguntou Jack, assim que ele e seu pai entraram no carro.

— Que você já pode ir para a escola amanhã — Respondeu seu pai — Vamos preparar as suas malas hoje a noite e amanhã de manhã vou te levar para a escola.

— Então eu realmente vou ter que me afastar de vocês... — Reclamou Jack.

— Calma, filho. O diretor me disse que os alunos podem voltar para as suas casas nos fins de semana, não é tão ruim assim. Além do mais, lá na escola tem tudo que um adolescente gosta, internet, piscina, quadra... Ah, e a escola fica na área litorânea de Manhattan, e o diretor disse que de vez em quando os alunos podem ir a praia. Você vai gostar, e pode falar comigo e sua mãe pelo celular — Avisou o pai de Jack.

— Ótimo, pelo menos hoje já é Quarta — Comemorou Jack.

— Se anime, filho, você pode não gostar de seu super-poder no começo, mas acho que em breve vai começar a gostar — Comentou o pai de Jack.

— Eu espero que sim... — Admitiu Jack.

Aquele dia se passou realmente muito rápido, muito mais do que Jack queria que tivesse passado. Jack arrumou as suas malas assim que chegou em casa, e após isso saiu com os seus pais para o shopping, pra aproveitarem seu último dia juntos. Eles ficaram lá até mais ou menos umas 22:00 da noite, até que voltaram para casa. Jack decidiu ir dormir assim que chegou porque eles acordariam as 6:30 da manhã pra irem a Escola Preparatória, que ficava no distrito de Manhattan, a meia hora do Bronx.

Jack realmente odiava acordar cedo, principalmente pra algo que não queria, mas infelizmente, ele tinha que ir para a Escola Preparatória. Jack costumava viajar escutando música, mas como a viagem seria curta ele sequer pegou seu celular, deixou ele guardado no bolso enquanto seu fone de ouvido estava na sua mochila. Jack estava com tanto sono que acabou dormindo a viagem toda, só acordando quando seu pai parou o carro.

— J-já chegamos? — Gaguejou assim que acordou.

— Sim — Respondeu o seu pai.

— Ah, que merda... — Reclamou Jack, abrindo a porta do carro e descendo de lá.

Jack então pegou as suas bagagens, que no caso eram uma mochila aonde estava seu notebook e seu fone de ouvido, uma bolsa de mão e uma de rodinhas aonde estavam as suas roupas. Por estar com as mãos ocupadas, Jack fechou a porta do carro com os pés. Seus pais desceram do carro logo em seguida e andaram até ele, que deixou suas bagagens no chão, menos a sua mochila, que estava em suas costas.

— Tchau, filho — Disse a sua mãe, dando um abraço em seu filho, que retribuiu — Tome cuidado, tá bom? Se cuide e se mantenha fora de confusões sempre. Nós vamos vir te buscar no Sábado pela manhã.

— Tchau, mãe... — Comentou Jack, desanimado.

— Tchau, filho — Se despediu o pai de Jack, dando um abraço no mesmo — Se cuide e boa sorte em tudo.

— Obrigado, pai, obrigado, mãe — Agradeceu Jack, no fim conseguindo dar um sorriso.

— Não se esqueça de ligar para a gente — Pediu a mãe de Jack, que balançou a cabeça positivamente.

— E até Sábado, garotão — Comentou o pai de Jack.

Depois disso os pais de Jack entraram no carro deles e logo deram a partida. Jack ficou na frente da escola observando os seus pais irem embora de carro até que já não podia mais o carro deles, então suspirou e se virou para a escola. Vários alunos estavam entrando lá naquele momento, e a maioria deles olhavam confusos para ele, afinal, nunca tinham o visto na sua vida. Jack não sabia com que frequência chegavam novatos ali, sendo que fazia pouco tempo que a escola tinha sido aberta, mas pelo jeito que olhavam para ele não deviam chegar tantos novatos assim.

Foi só então que Jack decidiu olhar como era a escola. Na sua opinião, ela era bonita. Antes do prédio havia um enorme pátio com alguns bancos e árvores. Já o prédio da escola possuía três andares, e alguns poucos alunos estavam entrando lá, a maioria estava reunida no pátio aproveitando o tempo que tinham antes da aula começar. Jack então finalmente tomou atitude pra entrar na escola, e enquanto se dirigia em direção ao prédio, olhava em seu redor em busca dos amigos. Talvez eles estivessem no prédio, mas de qualquer forma ele ainda precisava falar com o diretor pra saber qual era a sua turma e onde sua sala ficava. O pior era que o adolescente sequer sabia aonde ficava a sala do diretor, então teria que perguntar para alguém.

Jack não estava com a mínima vontade de perguntar a alguém desconhecido aonde ficava a sala do diretor, até porque nunca gostou de puxar assunto com quem não sabe nem o nome, então ele ficaria realmente satisfeito se achasse Oliver ou Liam. Enquanto olhava ao seu redor em busca dos amigos, Jack viu que uma garota estava se aproximando dele. Ela era baixa, tinha pele branca e cabelos castanhos longos. Seus olhos eram da mesma cor dos cabelos, porém mais escuros, e ela estava vestindo o uniforme da escola, que no caso era apenas uma blusa de manga longa vermelha com a sigla da escola (EPPACSP) bordada no peito e uma calça jeans.

— Oi! — Cumprimentou a garota, de repente, o que surpreendeu Jack um pouco — Você é um aluno novo, né? Eu nunca te vi na escola e tô aqui desde que ela foi aberta.

— Sou novo sim, cheguei aqui hoje — Respondeu Jack.

— Qual seu nome? — Perguntou a garota, sorrindo para Jack.

— Jack Rize. E você é...? — Jack perguntou.

— Sophia Allen — Respondeu a garota — De que turma você é?

— Eu ainda não sei — Respondeu Jack — Quero achar a sala do diretor pra perguntar a ele qual minha turma.

— Quer que eu te leve até lá? — Sugeriu Sophia.

— Ah, se não for incômodo — Aceitou Jack.

— É só me seguir! — Exclamou Sophia, então começando a andar. Jack seguiu ela.

— Você conhece um garoto chamado Oliver Smith? E outro chamado Liam Harper? — Jack perguntou de repente.

— Claro — Respondeu Sophia — Eles dois estudam comigo na turma A do 1° ano. O Oliver é até o nosso representante.

— Pode me levar até eles depois? — Perguntou Jack.

— Aham — Respondeu Sophia — Eles devem estar na sala agora.

Jack realmente não esperava que fosse fazer uma amizade assim que chegasse na escola, mas estava até feliz em conhecer Sophia, era parecia legal, e pelo menos conhecia Oliver e Liam. Jack realmente torcia para ir pra turma 1-A, porque já não bastava ter que ir para aquela escola, ficar em uma turma separada da dos amigos seria pior ainda. Jack e Sophia logo entraram no prédio da escola, e ele percebeu que o primeiro andar era o das salas de aula. No final do corredor das salas, havia uma com o nome "Sala do Diretor". Jack e Sophia pararam lá na frente.

— Eu vou indo pra a minha sala, tá bom? — Avisou Sophia — É a primeira do corredor, não tem como se perder até lá. Vou avisar ao Oliver e ao Liam que você chegou.

— Tá bom — Concordou Jack.

Sophia sorriu pra Jack e logo saiu andando em direção a primeira sala daquele corredor, e ele ficou observando ela até que a mesma entrou na sala e não podia mais ser vista, e assim Jack voltou a olhar para a sala do diretor, soltando sua bolsa de rodinhas e suspirando antes de bater na porta da sala.

— Pode entrar — Permitiu o diretor.

Jack então abriu a porta da sala do diretor e entrou lá, puxando a sua bolsa de rodinhas. A sala tinha tamanho mediano e parecia legal. Havia uma janela no lado direito, de onde se podia ver o ginásio da escola. Haviam várias estantes com livros ali e uma mesa com três cadeiras. O diretor estava sentado em uma, sendo que as outras duas ficavam na frente da mesa e o diretor ficava atrás.

O diretor não parecia tão velho, devia ter entre quarenta e cinquenta anos. Ele era branco e tinha cabelos grisalhos até que grandes. Usava óculos e estava vestindo uma camisa amarela de gola, gravata vermelha, terno marrom e calça jeans.

— Você é Jack Rize, não é? Sente-se, por favor — Pediu o diretor.

— Sou Jack sim — Respondeu Jack, enquanto se sentava e soltava as suas duas bolsas.

— Está aqui para saber a sua turma e pegar seu uniforme, não é? — Perguntou o diretor.

— Isso mesmo — Respondeu Jack.

— Primeiramente, eu me chamo Roger Dwayne — Se apresentou o diretor — Quanto a sua turma, vai ser a 1-A.

— Isso! — Comemorou Jack, mentalmente.

— Quanto a seu uniforme, já foi deixado em seu quarto, que fica no segundo andar, e inclusive tem seu nome na porta. As aulas começam as 8:00 e acabam as 15:50, mas as 9:00 vocês tem café da manhã e as 11:30 o almoço. Quanto aos horários de aula, eu não tenho, mas é só pedir para o representante da sua turma, o nome dele é...

— Oliver Smith — Completou Jack, sorrindo.

— Você conhece ele? — Perguntou Roger, surpreso.

— Claro, ele é meu melhor amigo — Respondeu Jack.

— Ah, que bom, então, peça os horários para ele — Pediu o diretor, e Jack balançou a cabeça positivamente — Ainda falta um tempo pras aulas começarem, então pode ir colocar seu uniforme, arrumar seu quarto do jeito que quiser e pode ficar zanzando pela escola o quanto quiser, mas só se pode entrar na sala de aula até as 8:10, então cuidado pra não ficar de fora e ter que esperar o segundo horário!

— Pode deixar comigo, diretor — Disse Jack, se levantando e pegando as suas bolsas.

Logo Jack saiu da sala do diretor. Ele viu que o primeiro andar tinha a forma de um "T", sendo que havia um corredor com as salas de aula na vertical e depois outro na vertical. A esquerda haviam escadas que levavam ao segundo andar, e a direita uma porta que Jack não sabia para onde levava. O adolescente obviamente seguiu para as escadas, e foi realmente chato para ele subi-la carregando tantas bagagens, mas felizmente haviam só uns trinta degraus. Jack logo chegou ao segundo andar, que era enorme, tanto que o adolescente demorou alguns minutos para achar o seu quarto, que ficava exatamente no fim do corredor. A propósito, no fim dele havia uma porta que dizia "Quartos das garotas", mas Jack nem ligou, apenas entrou no seu quarto.

O quarto de Jack estava do mesmo jeito que ele imaginava: Completamente vazio, se não por uma cama e uma mesa de cabeceira. Havia uma janela no quarto, bem a direita da cama. O uniforme de Jack estava lá em cima. Ele demorou mais ou menos uns vinte minutos pra vestir o uniforme e arrumar seu quarto, mas ficou feliz com o resultado. Agora havia um lençol em sua cama e as paredes estavam decoradas com posters de artistas, animes e filmes que Jack gostava. Seu notebook estava na mesa de cabeceira, e ao redor do esmo estavam algumas action-figures de Jack.

— Bom, se eu vou morar aqui agora, pelo menos meu quarto tá idêntico ao da minha casa — Comentou Jack, antes de sair do seu quarto.

Jack tirou seu celular do bolso e viu que eram 7:35, ainda faltava tempo para a primeira aula do dia começar, o que era bom. Agora a sua mochila não estava mais com seu notebook, e sim com cadernos, livros escolares e uma bolsa de lápis. Jack então se dirigiu até a sala 1-A, chegando lá em três minutos. Assim que ele chegou lá, todos os alunos olharam para ele, que pode notar Oliver e Liam ficarem surpresos com a sua presença.

— Jack! — Exclamou Liam, saindo correndo em direção ao amigo — Caramba, cara, cê tá vivo!

— Você realmente achou que eu tinha morrido? — Perguntou Jack, erguendo as sobrancelhas.

— Não, mas... Bem, tinha a possibilidade, né? — Retrucou Liam.

— Jack, eu fico realmente feliz que você tenha acordado do coma! — Exclamou Oliver, se juntando a Jack e Liam na porta da sala.

— Eu fico mais ainda, Oliver — Comentou Jack.

— E aí, qual seu super-poder, cara? — Perguntou Liam, curioso.

— Hidrocinese — Respondeu Jack.

— Caramba, que legal! — Exclamou Liam — Mostra pra gente sua habilidade, vai!

— Eh, eu nem sei controlar minha habilidade direito ainda, cara, calma... Além do mais, nem tem água aqui pra eu mostrar alguma coisa — Retrucou Jack.

— É, verdade... — Comentou Liam.

— E mesmo se tivesse, você não poderia mostrar nada, Jack, é proibido usar super-poderes na sala de aula — Avisou Oliver.

— Bom, o Jack não seria punido porque ele ainda não sabia — Comentou Liam.

— É, Liam, mas agora ele sabe — Retrucou Oliver.

— E qual os poderes de vocês? — Perguntou Jack, olhando de Liam para Oliver.

— Eu controlo o fogo — Explicou Oliver — Quer dizer, era pra controlar, mas eu ainda não sei usar meu poder muito bem. Só sei criar bolas de fogo, lançar jatos de chamas das mãos e saltar mais alto usando o fogo de impulso, nada demais.

— Eu controlo a terra — Explicou Liam — Ou melhor, não controlo não. Só sei arrancar pedaços de terra do chão e lançar eles. Um dia eu melhoro.

— Mesmo assim, vocês ainda controlam as suas habilidades melhor que eu — Admitiu Jack — Mas e aí, onde eu vou me sentar?

— Tem aquela cadeira vazia ali, atrás da Sophia — Avisou Oliver, apontando para uma cadeira atrás da de Sophia.

— Beleza — Concordou Jack — Me empresta seu caderno aí, Oliver, tenho que copiar as aulas da semana.

— Vou pegar, espera aí — Avisou Oliver, então saindo andando em direção a sua cadeira, que era a primeira da segunda fileira.

Haviam quatro fileiras, com cinco cadeiras em cada. Jack se sentaria na penúltima cadeira da primeira fileira, com Sophia se sentando em sua frente e Liam atrás dele. Jack colocou a sua mochila na cadeira e se sentou lá.

— Parece que eu vou ficar o ano todo sentado perto de você — Comentou Jack, para Sophia.

— É. Pelo menos assim nós ficamos amigos — Comentou Sophia — Quer dizer, se você quiser ser meu amigo. Você parece legal.

— Ah, valeu — Agradeceu Jack, sorrindo — Você também parece.

— Ih, rapaz, você mal chegou na escola e já tá paquerando as minas, Jack? — Ironizou Liam, se sentando atrás de Jack.

— Ah, cala a boca — Pediu Jack.

— Tá aqui meu caderno, Jack — Avisou Oliver, colocando seu caderno em cima da cadeira de Jack.


— Valeu, mano — Agradeceu Jack.

Jack ficou copiando os horários da semana até que a sineta tocou anunciando o início das aulas, mas pelo menos Jack conseguiu copiar todos os horários a tempo. A primeira aula do dia seria a de Matemática, que acabaria as 9:00 pelo fato de todas as aulas durarem uma hora. O professor de Matemática era um homem até legal, chamado Samuel Layne. Jack sempre gostou de Matemática, então a aula foi legal, mas as 9:00 a sineta tocou para o café da manhã, que durava até as 9:15. Jack se levantou da sua cadeira assim como todos os outros alunos.

— Preparado, Jack? — Perguntou Liam.

— Para o quê? — Perguntou Jack, confuso.

— Para o pesadelo de todo adolescente: O refeitório, o único momento em que todas as turmas estão reunidas, é um verdadeiro terror, cara — Comentou Liam — Só siga eu e o Oliver que vai ficar tudo bem. Ah, e uma dica, não chegue perto daquele garoto ali.

Liam apontou para um adolescente alto, de pele branca e cabelos loiros arrepiados. Seus olhos eram castanho-avermelhados e ele parecia um pouco musculoso.

— Quem é ele? — Perguntou Jack.

— Jacob Lyeber, o valentão da sala — Respondeu Liam — É sério, não chega perto dele.

— Vou tomar cuidado para não fazer isso — Comentou Jack.

— Então, vamos lá, cara. Hora de ir pra o refeitório — Avisou Liam, então começando a andar para fora da sala, sendo seguido por Jack.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • Originalmente nesse capítulo, Jack se encontraria com Oliver e Liam na entrada da escola, mas a cena foi alterada para que Jack pudesse conhecer Sophia mais cedo.
  • Originalmente nesse capítulo, haveria uma briga entre Jack e Jacob, mas por conta do tamanho do capítulo ela foi deixada para o capítulo seguinte.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.