FANDOM


14anos ESSE CONTEÚDO É PROIBIDO PARA MENORES DE 14 ANOS
Entre Família
GAA-Ep9
Informações Gerais
Série Gavião Arqueiro: O Atirador
Temporada -------
Arco Familiar
Número do Episódio 9
Sequência
Episódio Anterior Rumo ao Final
Episódio Seguinte -------
Créditos
Escrito por JohnyDivino
 Entre Família é o nono e último capítulo da mini-série Gavião Arqueiro: O Atirador e final do mini-arco Familiar, sendo escrito por JohnyDivino e dirigido por SérgioMalandroTupi13.

SINOPSEEditar

Não sei onde estou e quem me trouxe aqui, mas tenho que sobreviver. Por tudo que passei e tudo que ainda irei passar.

enredo

Aí, minha cabeça dói. Olho para meu redor querendo descobrir onde estou. Perfeito, um circo, preso em um carrinho de uma montanha russa quebrada. Como será que eu vim para aqui? Deve ter sido aquele arqueiro. Mas quem era ele? Me chamou de irmão, mas não pode ser o Barney. Continuo olhando em todos os cantos até avistar ele, sorrindo. Não tenho tempo para abrir a matraca, o carrinho começa a andar, sorte que consigo pegar uma flecha com a boca e cortar as cordas que me prendem, se não iria me espatifar no chão, igual esse carrinho.

"Quem é você?", pergunto furioso. "Você não lembra mais do seu irmão, Clint?". Não, não pode ser Barney. Por que ele faria isso? LÁ VEM. Ele está muito bom com o arco e flecha, parecem movimentos muito semelhantes aos meus. Seja quem for, ele escolheu um ótimo lugar para me enfrentar. É um circo semelhante ao que eu cresci com meu irmão, só que eu não lembro do meu ter palhaços atirando como armas. Tive que mandar tudo pelos ares com uma flecha-bomba. Normalmente eu faria uma piada sobre ter que pagar, mas não é a hora certa. "Você me abandonou, nunca foi atrás de mim mesmo quando conseguiu fama.", acho que se realmente for o Barney ele tem algo de muito errado na cabeça. Aproveito esses momentos de conversa para notar que meu cartão dos Vingadores não está comigo. Se ele tomou ele, por que não tomou logo tudo? Deve estar querendo brincar comigo.

Agora eu corro, ele quebrou uma roda gigante e agora ela vem em minha direção. Consigo escapar de ser esmagado com uma flecha-gancho, me puxando para uma atração abandonada do circo. Nesse momento o brinquedo que me seguia finalmente para, esmagando algumas atrações menores. Nesse momento consigo olhar para aquele arqueiro. Lembro de tudo que passei, seja como pessoa ou como herói. Se aquele realmente fosse meu irmão, não podia simplesmente deixar ele lá daquele jeito. Eu tenho que salvar ele, mesmo que isso custe minha vida. Entro naquele lugar que estava esperando me esconder do novo Flecha Certeira, quero tempo para bolar um bom plano. Espera, consigo escutar passos. Não tenho tempo para me preparar quando sou atacado por Zemo. Aquilo não faz sentido, ele deveria estar com os Thunderbolts, não tentando me matar.

Agora entendo, tudo está ligado. Zemo deve ter usado o controle mental do Fogo Cruzado ou o da Gata Negra com Barney para convencer ele que sou um inimigo. Ele talvez tenha arranjado uma forma de fazer meu irmão conseguir dominar todos os meus movimentos como uma máquina, isso explica ele estar tão bom no arco e flecha e ter ações parecidas com as minhas. Falando nele, olha quem apareceu. Sorrindo eu conto para o Zemo o que descobri, estava na cara que eu peguei ele no flagra. Ele gargalha de mim, por que se eu sei de tudo?

Zemo começa a me contar de tudo. Anos atrás (quando os primeiros Thunderbolts ainda existiam) em uma missão conjunta entre a equipe dele e os Vingadores, eu tive que matar Karla Sofen, conhecida como Rocha Lunar. Eu lembro disso, ela mesma pediu para eu acertar ela, estava sobrecarregada de energia, mas eu não sabia que Zemo amava ela. Não sei se ela está viva, pensei que havia ficado em coma, os Vingadores tinham me falado isso. Foi por isso que recentemente quando eu comandei os Thunderbolts que Zemo estava com raiva de mim. Eu não tinha ideia disso. Ele achou Barney quase morto em um beco e o levou para si, colocando meu irmão para treinar com o Flecha Certeira. O corpo do Chilsom, está bem ali... Mas, ele não falou nada de controle mental.

Como assim ele quis vingança comigo por conta própria e você nem precisou controlar ele? "Nós eramos uma família Clint, mas você não foi atrás de mim. Eu sempre corri atrás de você mas não tinha como saber onde o grande Gavião Arqueiro estaria com os Vingadores. Por sua causa, eu perdi toda minha vida, teria morrido se Zemo não tivesse me achado e me dado a chance para a vingança que eu tanto queria.", essas palavras não podem ser reais. É tudo invenção. "Barney, por favor cara. Eu te amo, você é meu irmão. Eu devia ter ido atrás de você, mas era muita coisa para mim. De uma hora para outra eu estava salvando pessoas. Devia ter ido atrás de você, me perdoa". A resposta é um soco. Barney começa a me atacar, não consigo me defender. Caído no chão, tudo que me resta é rezar. "Você vai morrer como herói, ou viver mais uma vez para poder acabar com a vida de outras pessoas?". Isso é a última coisa que escuto antes de começar a ser espancado.

Meu irmão me puxa para um lugar mais separado e começa a me atacar violentamente, sem nenhuma dó. Eu ainda não consigo acreditar naquilo, é difícil pensar com socos acertando seu rosto e flechas te perfurando. Eu me pergunto o que eu deveria fazer. Ele é meu irmão, a culpa disso tudo é minha. Eu matei Karla, eu fiz Barney ir ao fim, eu mereço estar aqui. Devo só fechar os olhos e aceitar minha punição, mas uma parte de mim diz não. Não posso só ignorar meu irmão assim como um monstro desalmado, não posso deixar que Zemo triunfe. Tudo que eu fiz foi para salvar vidas, nunca tirei a vida de nenhum inocente. Eu evolui. Como arqueiro, como herói, como amigo. Como pessoa. Não vou olhar para trás e deixar que tudo de bom que eu fiz seja apagado por só um erro.  Por mais que tenha vacilado com meu irmão, ele tem salvação. Dou um sorriso mesmo vendo um soco vindo em direção. Esse meu lado teimoso me faz pensar cada coisa...

...mas é ele que me define. E é por causa dela que eu seguro o soco de Barney. Finalmente não preciso me segurar, além do mais, é uma luta justa.

Os movimentos de Barney não passam de imitações dos meus. Fomos treinados pela mesma pessoa. Só que eu tive mais tempo para me aperfeiçoar. Ele dispara uma flechada que derruba minha aljava, mas não irei precisar de flechas para derrotar ele. Consigo desviar ou defender tudo que ele faz e revidar. Socos e chutes rodeiam ele até ele cair. Mas ele se levanta. Ser teimoso faz parte de nosso sangue. Ele consegue me acertar com uma flecha na perna, mas eu ainda consigo lutar. A troca de golpes é grande, desse jeito a gente não vai sobreviver. Mas isso é pessoal, não posso parar, mesmo que custe minha vida. A cada soco, a cada osso quebrado, a cada sangue que se derrama, eu sei que aquela batalha está perto de terminar.

Barney não é idiota, aproveita minha mão aberta para cravar uma flecha e me acertar um soco. Nesse ponto, eu já estou gostando de não ter que me segurar. Pego o braço dele e puxo até ouvir o osso estralar e o grito dele se espalhar. Acerto um chute em sua barriga que o faz cuspir a maior quantidade de sangue da sua vida. O pressiono contra a parede e encerro aquilo com a própria flecha que ele enfiou em minha mão, mas agora estava no ombro dele. A vontade de fazer mais alguma coisa é maior, mas isso é bem errado. Vou atrás do Zemo.

Vejo o canalha na minha frente, mas não consigo mais andar. Essa luta já pegou tudo de mim. Caio no chão, estou quase desmaiado. Não consigo nem me mexer. Tudo que consigo ver é ele apontando aquela espada no meu rosto. É, acabou. Eu pensei que ia viver mais um pouco. Ah, eu acho que vou. Bem feito Zemo, uma flechada bem no peito para ficar esperto. "Por aqui, vem rápido!" e "Clint! Você está bem?" são as melhores coisas que eu podia ouvir agora. Obrigado Deus. Acho que posso descansar em paz.

...

Aí, minha perna dói. Olho para o meu redor e vejo uma coisa que eu queria muito ver. Por mais que eu esteja em uma cama de hospital todo quebrado, estou rodeado da minha família. Kate, obrigado por se importar comigo. Você é como a irmã caçula que eu queria ter e nem sabia. Rogers, você é um exemplo, aquele que me mudou. Alguém que não me deixou ser aquele Cint Barton irritante de antes. Stark, mesmo que você já tenha feito muita #&$*@, foi minha inspiração. Eu não teria essa minha vida espetacular caso não tivesse visto você voando em uma armadura em um dia aparentemente comum da minha vida. Pym, grande amigo. Quando eu quis fazer outra coisa, você apoiou e me emprestou sua fórmula, mesmo que no final não fosse a coisa mais certa para mim. Fora que provavelmente você ajudou na minha operação, considerando sua roupa de médico agora. Natasha, sua maldita espiã russa, graças a você que eu me ferrei para poder dar a volta por cima. Sempre que eu preciso me da uma ajuda. Obrigado por ter sido minha primeira desilusão amorosa. Ah, eu sabia que você estaria aqui. Bobbi Morse, eu queria poder falar como eu te amo mas não tô conseguindo nem mexer minha boca. Obrigado pelo abraço.

Bem, mesmo que eu esteja fisicamente ferrado minha vida está ótima. Rodeado pelas pessoas que amo após descobrir que meu irmão está vivo e descer o cacete nele. Eu deveria estar pensando nele, mas não. Agora eu só consigo pensar no trabalho que vai ser escrever isso para o blog.