FANDOM


14anos ESSE CONTEÚDO É PROIBIDO PARA MENORES DE 14 ANOS
Normalidade
GAA-Ep3
Informações Gerais
Série Gavião Arqueiro: O Atirador
Temporada -------
Arco Explicações
Número do Episódio 3
Sequência
Episódio Anterior Relações
Episódio Seguinte Vida que Segue
Créditos
Escrito por JohnyDivino
Normalidade é o terceiro capítulo da mini-série Gavião Arqueiro: O Atirador e último do mini-arco Explicações, sendo escrito por JohnyDivino e dirigido por HanssenF.

SINOPSEEditar

As vezes eu até eu esqueço que apesar de enfrentar coisa para #@#@$@%, eu também sou um homem normal. Com obrigações normais, como pagar contas e etc. Só que ainda posso acertar qualquer alvo do mundo.

ENREDOEditar

Já falei tanto nos posts passados sobre a vida de herói que meio que cansei. Hoje eu vou falar de outra coisa, vou falar da minha vida de verdade. A vida como pessoa normal. "aí, mas você só é herói sem nenhum poder". Sim, mas isso ainda muda bastante minha vida. Mas vamos começar, não quero enrolar. Ah, mas esqueci de um cara que pediu muito para eu ler seu comentário no post passado. Yuri, salve para você e respondendo a pergunta polêmica. Eu já fiquei com as duas e bem... a Janet tem poderes que podem ser úteis na hora, mas a Viúva sabe de muito mais coisas. Então com ela!

Eu moro em um apartamento no Brooklyn. Já avisando, não é a mesma coisa que em Todo Mundo Odeia o Chris. O bairro tem violência, claro, mas não é essas coisas todas. O principal problema é que as pessoas são muito chatas. Sério, é muito difícil lidar com muitas sem dar vontade de dar um soco na cara. Tem uma velhinha (acho que o nome dela é Al) que mora na frente da padaria que eu compro pão (o que mais eu poderia comprar?) que fica enchendo o saco toda vez que eu passo. Ela me diz que eu sou feio mas ouvi falar que ela é cega.

Perto de casa tem tudo necessário para viver. Lavanderias, lanchonetes, mercados e o mais importante. Uma locadora. Sim, eu sou velho para ainda usar locadoras, mas prefiro isso que pagar Netflix. Podem me escutar, em um tempo ela vai retirar todas as séries que não são dela e deixar só as originais. Mas tem um ponto negativo. Quando eu não estou na mansão dos Vingadores é péssimo ir para qualquer lugar. Sério, parece que os vilões decidem aparecer em qualquer lugar longe para #@#@*&% de propósito. Uma vez eu fui inventar de pedir uma armadura pro Stark, mas aquela porcaria quebrou na primeira explosão. Eu acho que não fui feito mesmo para ter poderes. Quando eu usei a fórmula do Hank rolou uma luta lá, a gente teve que parar a guerra de duas raças lá. No final de tudo, eu acabei preso no espaço e a fórmula acabou. Sorte que lá pegava sinal de internet e meu cartão dos Vingadores conseguiu se contatar com eles. Isso é sério.

O meu prédio é meio velho, mas dá para viver normalmente. Sim, vocês não leram errado, meu prédio. O antigo dono era um tremendo $%@ no &* e tava enchendo o saco de todo mundo. Sério, ele queria expulsar uma idosa porque ele triplicou o aluguel do nada e ela não podia pagar. Eu meio que... ah, quer saber? %$#@#&, ninguém vai ler isso mesmo. Eu fui até ele conversar e desci o cacete. Eu tava "pê" da vida e não aguentei ele. O desgraçado ainda tentou me processar, mas o vingador aqui tinha o melhor advogado da cidade. Valeu, Murdock! Depois da treta na justiça, eu juntei todas as minhas economias que não ia usar para nada e comprei o prédio dele. Eu cobro um preço justo aos moradores e pago para uma menina que eu esqueci o nome cuidar dos negócios. Não tenho paciência para isso. "Nossa Clint, como você contrata uma pessoa e não sabe nem o nome dela". Mano, eu não ligo para o que você acha, o dinheiro é meu e ponto final.

Vou falar dos vizinhos. Tem um idoso gay. Eu não tenho nada contra pessoal, sou amigo de vários, mas é estranho ver homens de 30 anos entrando na casa dele para mais tarde eu ter que aguentar o barulho por ele não ter capacidade de morder um travesseiro. Fora isso, ele é um ótimo vizinho. O filho dele é médico e paga as contas para ele, mas não pode morar com o velho porque o trabalho é em outra cidade. Tem um grupo de artistas. Muita gente trata gente que se considera artista como vagabundos que não querem trabalhar, mas eu não acho isso. Talvez tenha algo haver com o circo, sei lá. São três. Uma adolescente, deve ter uns 16 anos. Não sei o nome dela, o apelido é Meg mas já escutei falarem que o apelido é totalmente diferente do nome. Ela veio do Texas, queria participar da Broadway. Eu já ofereci ajuda para ela, disse que meu amigo Simon (para quem não conhece, o Magnum. Aquele que vira energia roxa e tem um M gigante no peito) é um ator conhecido e podia ajudar. Ela agradeceu mas disse que prometeu que ia conseguir chegar lá pelo próprio mérito. Sendo sincero? Eu confio nela. Acho que tem total capacidade. Tem o cara mais velho. David Smith, acho que é esse o nome. Ele quer ser escultor mas não tem ninguém que apoie. Trabalha como atendente em um Mc Donalds. Eu queria muito ajudar ele, mas não sei como. Eu não manjo nada do mundo da arte, só de atuar mesmo porque já conheci duas pessoas que manjam muito disso. E tem a Sam. Ela é a mais ranzinza de todos. A garota não fala sobre a vida, mas já ouvi fofocas que a família toda dela se suicidou e ela foi posta para adoção e quando ficou mais velha fugiu. Na verdade, eu nem sei o que ela quer ser. De vez em quando tem alguma confusão ou algo relacionado a eles, mas a Meg odeia isso e sempre tenta resolver.

Tem a senhora (ou senhorita, eu sinceramente não tenho a mínima ideia de qual usar nesse caso) West. Ela é viúva e tem um filhinho de 6 anos. Ele gosta de mim e vive brincando. Já me pediu para ensinar ele como usar o arco e flecha, mas ela disse que não quer me atrapalhar e que tem medo do filho dela sair atirando flecha em estranhos na rua. Ou acertar o pé dele, qualquer uma dessas é péssima. Mas ela é uma ótima mulher e trabalhadora. Eu arranjei um trabalho para ela na indústria do Stark. Falando a verdade, nem sei mais o que ela faz, mas pelo jeito que ela me agradece, parece que ganha bem. Existem fofocas que ela matou o marido, para verem o nível do povo daqui.

Ainda no meu andar, tem mais um casalzinho. É deles que vem a maior parte das fofocas do resto do pessoal. O Gruenwald e a Aja são casados a uns 20 anos, o que é muito considerando que eles tão na faixa dos 40. O Gruenwald é aposentado por causa de um acidente de trabalho, então não tem que trabalhar e ganha bem, a Aja nem se preocupa e só cuida dele. O problema dele nem é tão grande, é mais na forma que ele anda, provavelmente ele conseguiria trabalhar ainda mas deixa ele na dele. Eu nunca vi eles brigando, mas a mulher é barraqueira. Sério, ela faz muito escândalo desnecessário com o povo do prédio. Mas fora isso ela é legalzinha.

Para finalizar os vizinhos, tem o Gary. A gente não sabe muito sobre ele. Que eu me lembre, só vi ele saindo do apartamento uma vez. Digno filho da $%#@. Adora semear a discórdia. No caso, ele semeia virtualmente porque não tem coragem de sair para encarar a luz do sol (e provavelmente alguns socos). Uma vez ele espalhou no Facebook que a Meg tinha chegado com um cara em casa, o que deixou o David bem abalado (eu esqueci de falar que eles namoram, malz galera). Eu tive que entrar na história, olhei todas as câmeras de segurança e não vi nenhum cara, o que salvou a relação deles. Gavião Arqueiro, o cupido.

Acho que por aqui já tá bom, mas eu tenho que avisar uma coisa. Eu vou sumir por um tempo porque arranjei um trampo temporário. Sim, eu estou de férias, mas eu preciso de um money extra porque comecei a investir o meu em uma coisa BEM cara. Mas por enquanto não vou aumentar suas expectativas. Tchau, até o próximo blog!

guia de referênciasEditar

  • O protagonista faz uma referência óbvia ao seriado americano "Todo Mundo Odeia o Chris", que se passa no mesmo bairro que ele mora.
  • Al é uma velha cega conhecida na mitologia do personagem Deadpool, também da Marvel Comics.
  • David Smith, Meg e Sam são personagens da HQ favorita do escritor, "O Escultor".
  • Gruenwald e Aja são referências a, respectivamente, a um escritor e quadrinista que passaram pelo Gavião Arqueiro. Mark Gruenwald foi escritor da primeira mini-série do personagem e David Aja é o desenhista da aclamada fase do Gavião escrita por Matt Fraction.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.