FANDOM


Novos Parceiros (NA)
Titas simbolo
Informações Gerais
Série Titãs
Temporada 1
Arco Apresentações
Número do Episódio 3
Sequência
Episódio Anterior Pássaros
Episódio Seguinte Raiz do Mal
Créditos
Escrito por Ominimon
Novos Parceiros é o terceiro episódio da série Titãs e primeiro episódio no estilo flashback da série.

SinopseEditar

Há dois anos atrás, Dick, que recentemente assumiu o manto de Robin, é convencido por seu mentor a fazer novos amigos, e a primeira tentativa é com o pupilo do Velocista Escarlate.

EnredoEditar

Há três anos, de tardezinha, sobre os prédios de Gotham, um grande herói e seu novo ajudante fazem acrobacias e cambalhotas. O ajudante é um pouco desengonçado nas horas de pouso, mas seus saltos são ágeis. É novo no universo de heróis e vilões, mas nasceu no universo das acrobacias. Dick Grayson, o garoto do circo, é agora Robin, o garoto prodígio. Perdeu os pais em uma apresentação de circo e agora está sob a tutela de Bruce Wayne, secretamente sendo treinado por Batman, o morcego de Gotham.

– Robin, a Liga irá se unir aqui em Gotham daqui alguns minutos. Não quero que entre em nenhum caso. – disse Batman com o mesmo tom sério de sempre.

– Então vocês vão mesmo criar um grupo de super-heróis? Vocês não acham que deveria ter outro nome em vez de só “Liga”? – indagou Robin enquanto pulavam sobre os prédios. – E por que se encontrarão aqui em Gotham?  Vocês deveriam ter uma base secreta igual à Bat-Caverna.

– Primeiro veremos se realmente formaremos essa aliança, depois vem o nome e a base secreta. E eles sabem voar, ou se não, correr muito rápido, acharam melhor me encontrar aqui em Gotham, afinal eu sou apenas um humano. – Robin percebeu o tom irônico da ultima frase.

– Você tem um Bat-Jato. – Robin sorriu.

– Mas eles não sabem. – Batman disse de uma forma tão natural, mas que sem motivos fez Robin rir, como se ele quisesse isso. – Hum... Robin, um dos integrantes tem um ajudante como eu tenho você. Ele também não poderá ir á reunião, então tente ser amigável e apresente a cidade para ele.

– Como você tem tanta certeza que ele virá também?

– Eu pedi pra que viesse. – Batman não demonstrou nenhuma emoção em seu rosto e não esperou por respostas, logo começou a falar. – Robin, você precisa de amigos e ele também, nada melhor do que outro combatente do crime da sua idade.

– O que? – Robin não diz mais nada, porque pensa que Batman talvez estivesse certo. – E eu pensando que você preferia o método de trabalhar sozinho...

Batman não responde. Só continua em frente e minutos depois deixa o garoto no local onde encontrará seu “novo amigo”. Robin ainda estava com seu traje e esperou por mais alguns minutos. Estava no beco escuro mais próximo do local de encontro, quando ficou entediado, chutou algumas latas de refrigerante e correu atrás de ratos, que não eram tão incomuns.

Robin não sabe por que está ali esperando, poderia sair dali se bem quisesse, mas algo dentro dele pedia para que ele ficasse e fizesse novos amigos. Robin só suspira e continua a esperar, sabe que é o melhor para ele. Na verdade, nem sabe como vai reagir, nem sabe se a outra pessoa vai ser amigável com ele, muito menos sabe se ele deveria ser amigável com ela.

– Uau! Então você é o Robin? Flash me fala bastante sobre você, como você é um exemplo de ajudante e blá blá blá. – Uma voz muito acelerada surge de trás de Robin. – Não sei se o Batman fala de mim, definitivamente não... Bom, eu sou o Kid Flash, tá mais do que óbvio que eu trabalho com o Flash. – Sorriu.

Robin vira e joga o olhar para o dono da voz, um garoto ruivo de traje amarelo, bastante semelhante ao do Flash, com raios vermelhos. Então o Flash possui um ajudante também? Robin começa a se perguntar de onde o herói pode ter tirado alguém como o recém-apresentado Kid Flash.

– Ahn... O Flash fala de mim? – Tentou criar uma imagem mais agradável, deixando para trás todas as paranoias que criou em sua cabeça – Que máximo, eu acho... – Robin, ruborizado, abaixa a cabeça.

– O Flash é super fã de vocês dois e da forma como combatem o crime juntos. Ele diz que são sincronizados com os movimentos. – Kid Flash para um tempo para pensar. – Não precisa ser um detetive pra saber que aqui é completamente entediante, parece uma ideia louca, mas me enfrentaria em um combate? – Fez cara de deboche, como se o desafiasse de fato.

Robin olha para Kid Flash como se quisesse ter certeza de que ele tivera falado aquilo mesmo. Logo as palavras de Batman pululam em sua mente: “não entre em nenhum caso”. Isso parece ser um caso? Um caso talvez não, mas divertido até que sim. Não tem mais nada pra fazer ali e o garoto prodígio definitivamente não quer ficar ali, muito menos continuar essa conversa, ele mesmo sabe que não conseguiria.

– Quem sabe? – Robin respondeu em um sorriso levantando os ombros.

– Vamos! Me prova o quão prodígio você é. É explícito que você também quer! – Kid Flash estava muito empolgado.

– Certo! – Robin respondeu depois de alguns segundos. – Mas eu não vou perder.

– Nem eu! – Kid Flash projeta seu corpo em menção de começar a correr.

Robin retira seu longo e novo bastão, só pôde usá-lo em apenas uma missão.

Kid Flash acelera o passo, e sem que perceba, algo explode em seus pés, o fazendo perder o equilíbrio. Robin, com sua Bat-Garra, esquiva e lança seus projeteis explosivos, evitando ser acertado por Kid Flash, este, pressiona sua perna direta contra o chão e em um impulso segura a corda da Bat-Garra, desprendendo-a e derrubando Robin.

Robin recupera o equilíbrio e evita cair no chão de forma errada, entretanto, nesta hora, Kid Flash estava preparando um soco, que num piscar de olhos, acerta a barriga do garoto, depois o queixo com um gancho e o derruba com uma rasteira, isso tudo sem que Robin percebesse. Kid Flash é de fatoe rápido, mas talvez não o suficiente.

Robin usa a Bat-Garra novamente para escapar de Kid Flash, chegando à parte superior dos prédios, ali ele terá vantagens. Kid Flash sobe através de escadas de ferro enferrujadas, correndo atrás de Robin. Ao chegar ao final das escadas, nota Robin na outra extremidade do prédio. Sem perder tempo, avança em sua direção. 

Robin retira uma espécie de arma de seu cinto, ao disparar, uma boleadeira é lançada, atingindo os pés de Kid Flash, os prendendo e o fazendo cair. Ele reluta tentando se desvencilhar. Robin se aproxima.

– Acho que você perdeu. – Robin sorri.

– Eu acho que não.  – Kid Flash já desvencilhara, tentando acertar Robin com uma rasteira novamente.

Robin salta para trás e cai lentamente como uma pena, isso sendo possível por causa de sua capa. Kid Flash, velozmente, levanta-se, agarra a capa de Robin e o joga no chão com força e velocidade. Robin geme, Kid Flash sorri.

– Eu ganhei. – Kid Flash ergue a mão direita para Robin em um gesto amigável.

Ele aceita a ajuda de seu novo amigo. Na hora que Kid Flash erguera Robin, o garoto aproveita o impulso para puxar o ruivo para trás e acertá-lo com seu bastão atrás da cabeça. Kid Flash impressiona-se por um tempo com os olhos brilhantes e um sorriso feliz. Robin nota e sorri em seguida.

– Eu só vou deixar você ganhar esta vez porque cansei de brincar. – Robin não ficara tão feliz daquele jeito há tanto tempo que não conseguia mais tirar o sorriso de seu rosto.

– Ah, claro! – Kid Flash se aproxima da ponta do prédio e senta para ver o pôr do sol. Robin faz o mesmo.

– Meu nome é Wallace West, mas pode me chamar de Wally. – Wally estende a mão para Robin.

Robin se surpreende com essa informação que recebeu tão subitamente, não tendo certeza se realmente revelar sua identidade seria o certo a fazer.

– Por que está me contando isso? – disse Robin baixinho.

– Porque eu quero mesmo ser seu amigo, e você é o Robin, eu posso confiar em você. 

Robin fica orgulhoso pelo elogio. Abaixa a cabeça para processar todas essas palavras repentinas que acabara de ouvir. 

Um amigo...

– Ei! Não vai me contar seu nome? – perguntou Kid Flash impaciente.

– Por hora, não. – Robin sorri e ri com alegria, uma alegria bastante real e verdadeira.

– Eu realmente precisava disso. – Kid Flash suspirou. – Por favor, a gente não pode perder o contato de jeito nenhum.

– A-acho meio impossível graças a Liga... – Robin não sabe bem se quer entrar nessa amizade, está com receio do que pode vir.

– Acho que o universo conspira ao nosso favor. – Wally mencionou.

Robin continua olhando para frente sem falar nada, mas pensando que cada paranoia sua é muito boa e a presença de Wally é confortável para ele. Ele tem um amigo. Sobre o prédio e o pôr do sol, o garoto se soltou e fez questão de conhecer mais seu novo companheiro, deixando Kid muito feliz. Aquele foi estopim de uma grande e poderosa amizade.

PersonagensEditar

CuriosidadesEditar

  • A ideia original era fazer Robin conhecer Kid Flash quando Batman e Flash uniram suas forças para lutar contra o Mago do Tempo, no final Batman e Flash sumiriam misteriosamente e permaneceriam assim até os dias atuais. Haveria um flashback continuação onde Robin e Kid Flash passariam um tempo sozinhos e começariam a se conhecer melhor. No final derrotariam o Mago do Tempo e descobririam que ele não tinha nada a ver com o desaparecimento dos heróis.
    • Todo esse Arco foi descartado porque não tinha ligação com os acontecimentos presentes na serie dos Titãs
  • Não fazia mais do que algumas semanas em que Dick havia se tornado Robin.
    • A segunda vez que Robin usou seu bastão tão presente atualmente foi na luta contra Kid Flash.
    • Sendo o primeiro herói adolescente, é provável que Wally teve contato com a Força de Aceleração alguns dias ou uma semana depois que Robin surgiu.
  • Batman estava se juntando com a "Liga" e disse que ainda pensariam em um nome, futuramente fundando a Liga da Justiça.
    • É provável que os heróis tenham tido vários contatos antes de formar a Liga da Justiça, por isso Flash sabia tanto sobre Batman e Robin, pelo que Kid Flash dizia.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.